Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Breath

Breath

18
Set18

Estou de volta!


Sim, já se passou um ano desde o último post. 

Podia dizer que andei muito ocupada (e andei), que não tive tempo para postar e não deixaria de ser uma mentira. Estive ocupada, sim, mas também tive momentos de relaxamento que me permitiam escrever, mas a verdade é que me esqueci. A inspiração faltou e o blog deixou de ser uma prioridade na minha vida. 
Foi um ano atribulado. Comecei o meu último ano de licenciatura, estagiei, fiz voluntariado, terminei o curso e viajei. Tudo isto num ritmo alucinante, mas que no final me deixou com um sorriso estampado no rosto. 
Entretanto regresso com novas ideias e pronta para voltar. 

Espero que compreendam a minha ausência!
Até já.

 

 

03
Set17

Novo visual


Viram que o blogue mudou um bocadinho? Está mais verdinho!
Claro que depois de um verão em grande, o blogue também tinha de refletir um bocadinho das experiências que tive e daquilo que tive o prazer de observar e que espero estar aqui transcrito muito em breve (inspiração precisa-se ASAP).
Espero que gostem desta pequena mudança.

01
Set17

Falta de tempo #2


Eu podia estar aqui a mentir e a dizer que estive muito ocupada para escrever, mas não. É mentira. Eu tive tempo para escrever antes de ir para a Irlanda, mas simplesmente quis aproveitar o tempo (pouco) que tive para a planear melhor e recuperar forças para os dias que aí vinham. 
Agora que estou de volta a terras lusas à quase 4 dias já me sinto melhor para escrever. 
Não vou fazer promessas, mas vou tentar escrever sobre a minha experiência no campismo, a road trip e a visita à Irlanda.
Até já! 

13
Ago17

Falta de tempo


O post não vai ser longo. Vai ser curto e para explicar a minha ausência. 
Os dois motivos principais foram o campismo e a minha road trip. Experiências incríveis, mas tão diferentes e que vão ser documentadas aqui brevemente. 
Até lá, divirtam-se! 

16
Jul17

NOS Alive 2017


Tenho de confessar uma coisa: eu nunca tinha ido ao Alive. E não digo isto com tristeza, digo com orgulhoso, porque sei que a minha geração delira com este festival e que fazem tudo para ir. Eu, no entanto, fazia parte da população que nunca lá tinha "metido os pés". Nunca fui porque a oportunidade não surgiu. Inclusivamente cheguei a ter o bilhete o ano passado, mas por motivos pessoais não consegui ir. 
Este ano foi o ano! E não fui apenas um dia, fui os três, o que para mim foi uma grande vitória, uma vez que nunca tinha ido a todos os dias de algum festival.Confesso que achava que ia ser pior do que o que realmente foi (mas isso talvez se deva ao facto de só ter ido para as primeiras filas no último dia). Fui preparada psicológicamente para ouvir conversas nos concertos, de muita confussão, de filas intermináveis à entrada, de pessoas rudes e mal educadas... basicamente fui preparada para não gostar. Já tinha ouvido muitas críticas e na minha cabeça o melhor festival é o Primavera Sound (e continuo a achar). Enganei-me. Existiu isto tudo, mas não ao ponto que eu estava à espera. Surpreendeu-me pela positiva nesse sentido. 
Acho que aproveitei ao máximo o festival. Desde os palcos principais aos secundários como o palco comédia e o EDP Fado Café; às barracas dos patrocinadores e à comida. E sim, vamos falar da comida porque havia talvez uns quatro pontos de comida vegan/saudável!! 
A verdade é que o Alive não é para todos.Na minha opinião, o primeiro dia foi o melhor! The XX para mim foram os que mais me surpreenderam pela positiva. Eu adoro as músicas mas vê-los ao vivo foi algo de fascinante. Alt- J que eu achava que ia ser o highlight do Alive desiludiu-me um bocadinho, confesso. Podiam ter tido mais energia em palco, mas mesmo assim não fez com que me arrepende-se. Phoenix só conhecia uma música, mas depois do concerto fiquei fã. The Weeknd deu um concerto muito curtinho para cabeça de cartaz, uma hora e dez de concerto onde cantaram as principais músicas e o resto pareceu-me "mais do mesmo". 
O segundo dia foi dia de Foo Fighters que eu também conhecia e adorei. O resto das bandas não conhecia e admito que foi o dia que andei a conhecer as atividades que se podia fazer dentro do recinto.
O terceiro e último dia, começou com duas bandas que eu já tinha visto ao vivo no Máres Vivas. Curiosamente gostei mais de ambas nos concertos que deram no Máres (estou a falar de The Black Mamba e Kodaline). The Black Mamba teve uma vibe diferente neste concerto, mais rock e não tão jazz como eu gosto. Kodaline só teve quarenta e cinco minutos para brilhar (o que na minha opinião foi pouco) e cumpriu a tarefa, no entanto, no Máres Vivas o público conseguiu acompanhar muito melhor as músicas e notava-se mesmo a emoção em cada verso prenunciado, no Alive essa sensação não esteve tão presente. Imagine Dragons estiveram bastante bem. Adorei a mensagem de paz que passaram no concerto, agradecendo a presença de todos,  visto os recentes acontecimentos. Foi um concerto cheio de energia e que transmitiu uma sensação de liberdade. Despiche Mode, não vi, infelizmente. 
No meio disto tudo, as coisas que mais me marcaram pela negativa foi o cheiro a droga que esteve presente durante todos os concertos. Foi horrível. Nem com uma segurança tão apertada à entrada do recinto, impediu que a droga entrasse. Ela passou e notava-se.
Falando em segurança, esta foi apertada, como já disse. Eles abriam todos os bolsos e revistavam tudo ao pormenor, mas por mais estranho que pareça, deixavam entrar com comida para dentro do recinto. Uma situação caricata, foi terem-me deitado o desodorizante para o lixo, no primeiro dia, sendo que este era roll-on (não percebi a ideia). Fora isso, não tenho nada a apontar. 
No final, saí de lá com uma sensação de uns bons três dias bem passados! 

P. S.:  As fotos abaixo foram todas tiradas por mim. Desfrutem! 

IMG_6051.JPG

IMG_6080.JPG

 

IMG_7219.JPG

 

IMG_7227.JPG

 

IMG_7228.PNG

 

IMG_7231.JPG

 



11
Jul17

Coisas espontâneas


Eu sempre fui de extremos na vida. Ou sou demasiado cautulosa ou sou demasiado espontanea. Ou penso demasiado no assunto ou corro o risco e faço asneira. Ou estudava duas semanas antes ou estudava duas horas. Ora combinava coisas com as pessoas com uma semana de antecedencia ora com duas horas. 
No fundo, nunca soube achar o meio termo para nada, para ser sincera. Aquele balanço que eu acho que todos nós procuramos. O intermédio, o balanço perfeito entre as coisas, nem que seja por um curto período tempo ou algo mais duradouro e que seja, talvez, uma resolução para a vida. 
A verdade é que nunca me tive o tempo necessário para pensar neste assunto convenientemente até agora. Regra geral vivia bem com a inexistência deste balanço, até que me apercebi que ultimamente vivia mais na insegurança e perdia algumas oportunidades únicas e que outros pessoas adoram fazer e eu não o aproveitava porque existiam sempre mais motivos para não o fazer, do que motivos para o fazer. Aquilo que eu me esquecia era que o mais provável é que durante a minha vida é isso vai que acontecer e não uma, mas na maioria das situações. Haverão sempre muitos mais motivos para não fazer algo, do que fazer algo espontaneo e ver o que vem daí (nem que seja uma lição).
Assim, cometi duas pequenas-grandes loucuras no espaço de poucas semanas. Surgiram na altura certa, com os motivos certos e com as pessoas ideiais para me acompanharem nas minhas aventuras. Vamos ver o que vai surgir daqui! 
Entretanto, um post sobre o NOS Alive 2017 irá chegar.

 

P.S.: O post foi completamente espontaneo! 

 

25
Jun17

Summer is coming


A altura dos festivais de verão está aí à porta, bem como as viagens, as idas à praia, os sunsets e tantas outras coisas. Quase que consigo sentir as aventuras que me esperam nas próximas semanas.
A verdade é que não poderia estar mais entusiasmada pelo que aí vem porque, para mim, esta é sem dúvida, a melhor altura do ano. 
Vão ser semanas loucas/meses loucos, mas que de certeza que irão trazer muitas memórias para recordar no futuro (pelo menos assim o espero).
Até lá, ainda me restam mais dias de planeamento e um bocadinho de esforço para acabar o ano letivo em grande. 
See you soon summer 

IMG_2923 (1).JPG

 

 

23
Jun17

Regressei


Passados meses de ausência, finalmente voltei. 
A minha ausência deveu-se à faculdade. Foram exames, voluntariado e a vida em geral. Cheguei a fazer uns rascunhos durante as aulas, mas decidi não publicar porque os assuntos não eram relevantes o suficiente para publicar aqui e foram apenas desabafos do momento. 
Prometo, no entanto, voltar à escrita nos próximos tempos. 
Espero que se mantenham aí. 

09
Abr17

What I eat in a week


É verdade, estou de volta. 
A última semana foi louca. Foram frequências, projetos de grupo, entre outras coisas... Razões essas que fizeram com que não postasse nada. Desculpem.

Hoje venho aqui deixar algumas sugestões ou "receitas" das minhas últimas refeições. São vegetarianas, fáceis e rápidas de preparar, cheias de cor e agradáveis tanto ao olhar como no sabor, perfeitas para este calor que se instalou.
 
Espero que gostem e que experimentem alguma pois não se vão arrepender.
P.S: Quase todas as receitas foram inspiradas neste instagram - https://www.instagram.com/ahealthycoconut/

17793421_1366671066712955_41294611_n.jpg

 

17813894_1366670950046300_296061892_n.jpg

 

IMG_2667.JPG

 

IMG_2688.JPG

 

IMG_2722.JPG

 

IMG_2943.JPG

 

01
Abr17

April fools


Sempre adorei o dia 1 de Abril, sempre.

Era aquele dia em que eu contava as mentiras mais irrisórias de sempre e que ninguém acreditava. Porque, sejamos sinceros, eu nunca tive jeito para mentir.
No entanto, com o passar do tempo, o dia começou a ser como os restantes dias do ano, um dia normal. Comecei a não compreender o porque de terem arranjado um dia para contar mentiras, como se nos restantes dias do ano já não o fizessem por norma e sobre temas realmente importantes. Pergunto-me: não será o dia de hoje seja mais um dia para se contar mentiras sem se ter consciência pesada no final? 

A verdade é que à dois anos atrás, neste preciso dia, eu estava a fazer o exame de código. Quando escolhi o dia, nem sequer me apercebi da data que foi e depois até tentei mudar, até que me convenceram a não o fazer. Não me arrependo. Passei. Lembro-me de me mandarem mensagem a perguntar o resultado e eu disse logo que sim, que tinha conseguido. E a resposta imediata foi: hoje é dia 1 de abril. Estás a mentir, claro. Não estava, é claro. E tive logo a minha primeira aula de condução nesse dia. 
A partir daí, o dia ficou-me sempre lembrado. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo