Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Breath

Breath

16
Jul17

NOS Alive 2017


Tenho de confessar uma coisa: eu nunca tinha ido ao Alive. E não digo isto com tristeza, digo com orgulhoso, porque sei que a minha geração delira com este festival e que fazem tudo para ir. Eu, no entanto, fazia parte da população que nunca lá tinha "metido os pés". Nunca fui porque a oportunidade não surgiu. Inclusivamente cheguei a ter o bilhete o ano passado, mas por motivos pessoais não consegui ir. 
Este ano foi o ano! E não fui apenas um dia, fui os três, o que para mim foi uma grande vitória, uma vez que nunca tinha ido a todos os dias de algum festival.Confesso que achava que ia ser pior do que o que realmente foi (mas isso talvez se deva ao facto de só ter ido para as primeiras filas no último dia). Fui preparada psicológicamente para ouvir conversas nos concertos, de muita confussão, de filas intermináveis à entrada, de pessoas rudes e mal educadas... basicamente fui preparada para não gostar. Já tinha ouvido muitas críticas e na minha cabeça o melhor festival é o Primavera Sound (e continuo a achar). Enganei-me. Existiu isto tudo, mas não ao ponto que eu estava à espera. Surpreendeu-me pela positiva nesse sentido. 
Acho que aproveitei ao máximo o festival. Desde os palcos principais aos secundários como o palco comédia e o EDP Fado Café; às barracas dos patrocinadores e à comida. E sim, vamos falar da comida porque havia talvez uns quatro pontos de comida vegan/saudável!! 
A verdade é que o Alive não é para todos.Na minha opinião, o primeiro dia foi o melhor! The XX para mim foram os que mais me surpreenderam pela positiva. Eu adoro as músicas mas vê-los ao vivo foi algo de fascinante. Alt- J que eu achava que ia ser o highlight do Alive desiludiu-me um bocadinho, confesso. Podiam ter tido mais energia em palco, mas mesmo assim não fez com que me arrepende-se. Phoenix só conhecia uma música, mas depois do concerto fiquei fã. The Weeknd deu um concerto muito curtinho para cabeça de cartaz, uma hora e dez de concerto onde cantaram as principais músicas e o resto pareceu-me "mais do mesmo". 
O segundo dia foi dia de Foo Fighters que eu também conhecia e adorei. O resto das bandas não conhecia e admito que foi o dia que andei a conhecer as atividades que se podia fazer dentro do recinto.
O terceiro e último dia, começou com duas bandas que eu já tinha visto ao vivo no Máres Vivas. Curiosamente gostei mais de ambas nos concertos que deram no Máres (estou a falar de The Black Mamba e Kodaline). The Black Mamba teve uma vibe diferente neste concerto, mais rock e não tão jazz como eu gosto. Kodaline só teve quarenta e cinco minutos para brilhar (o que na minha opinião foi pouco) e cumpriu a tarefa, no entanto, no Máres Vivas o público conseguiu acompanhar muito melhor as músicas e notava-se mesmo a emoção em cada verso prenunciado, no Alive essa sensação não esteve tão presente. Imagine Dragons estiveram bastante bem. Adorei a mensagem de paz que passaram no concerto, agradecendo a presença de todos,  visto os recentes acontecimentos. Foi um concerto cheio de energia e que transmitiu uma sensação de liberdade. Despiche Mode, não vi, infelizmente. 
No meio disto tudo, as coisas que mais me marcaram pela negativa foi o cheiro a droga que esteve presente durante todos os concertos. Foi horrível. Nem com uma segurança tão apertada à entrada do recinto, impediu que a droga entrasse. Ela passou e notava-se.
Falando em segurança, esta foi apertada, como já disse. Eles abriam todos os bolsos e revistavam tudo ao pormenor, mas por mais estranho que pareça, deixavam entrar com comida para dentro do recinto. Uma situação caricata, foi terem-me deitado o desodorizante para o lixo, no primeiro dia, sendo que este era roll-on (não percebi a ideia). Fora isso, não tenho nada a apontar. 
No final, saí de lá com uma sensação de uns bons três dias bem passados! 

P. S.:  As fotos abaixo foram todas tiradas por mim. Desfrutem! 

IMG_6051.JPG

IMG_6080.JPG

 

IMG_7219.JPG

 

IMG_7227.JPG

 

IMG_7228.PNG

 

IMG_7231.JPG

 



Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo